Bundalelê

"Dúvida." Lápis. Seco e aquarelável.

"Dúvida." Lápis. Seco e aquarelável.

No ônibus ou no trem lotados,
o trabalhador apertado
entre dores
e outros trabalhadores,
divide com motorista,
trocador, vendedor, balconista,
costureira, boy, faxineira,
o espanto da lavadeira
que nunca lavou dinheiro.

Mas a falta de vergonha
é mancha que não se lava,
nem se leva impunemente.

Nem se leva impunemente?!…

– Quanto milhão, companheiro!
Haja cueca! Haja mala! Haja dízimo!
Haja otário para tanto salafrário!!

Todos choram
a falta de sorte de acertar.
Todos coram o vermelho
pleno do cyan das idéias mortas…
Zeferinos, gonzagões, zés, marias e joões –
todos calam seus triângulos,
cerrando, da sanfona, o fole
das certezas e senões.

Mas também tem mauricinhos
e patricinhas perfumosos
chorando em cores e ao vivo
pelo mesmo motivo.

Puxa! Que evolução!

“Poetas, seresteiros, namorados, correi”…
Que todos nós,
(todos voz),
cravamos errado
e estamos escrevendo
da direita para a esquerda,
rebolando ao centro,
sem saber para onde ir…

Por sorte,
“Deixaram-nos as palavras.”*

ju rigoni

* “Saímos perdendo… Saímos ganhando…

Levaram o ouro e nos deixaram o ouro…

Levaram tudo e nos deixaram tudo…

Deixaram-nos as palavras.”

(Pablo Neruda)

Visite também  Fundo de Mim II,   Dormentes Medo de Avião.

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: