Verve

pulso_by_sotoxic 2
Eu leio,
e a mente em alerta
apresenta-me rostos,
corpos, expressões, cenários,
situações…
Mergulho no mar
dos meus sentidos…

Eu leio
e, quando o faço,
cresço.
Sou muitos…
Sou tudo e todos.
Emprenho-me!
Sou útero em gestação perene, –
abrigo, estímulo, alimento,
à palavra do artista que
concebeu as palavras
que leio…

Eu leio
e vivo as vidas
que nasceram do amor
entre autor e palavras…
Nas teias do fascínio,
interpreto-as ao meu jeito, –
amo, odeio, invejo, desejo…
morro as mortes descritas,
mas ao meu modo de morrer…

Deixo correr em minhas veias
o sangue de tipo estranho
que ensina ao coração
uma nova maneira de bater…
Sorvo o que, de antemão, já sabia,
e absorvo o que não saberia…
se não me permitisse ler.

As vidas que leio
são do autor,
mas também são minhas.
Minhas?…
Minhas e de tantos outros
que vivem em mim,
e que eu li, leio e releio,
num prazer insano…

Eu leio e ganho nova vida
em vidas que só podem existir
onde começam as minhas, –
as que vivi e as que vivo,
e que, ao morrerem,
imortalizaram-se,
e imortalizam-se
porque…
leio
e lerei
até quando me permita esta vida,
tão comum, tão mortal,
e que penso ser só minha…

ju rigoni (1989)

Foto-Arte Bernardo Castanho
Visite também  Fundo de Mim IIDormentes e Navegando…

Anúncios
  1. 19/05/2009 às 11:27

    O melhor de escrever é que temos que ler depois…
    Cada palavra, cada letra, cada livro, cada sensação. Única. Intensa. Sublime.
    Ler é aprender, apreender, multiplicar e multiplicar-se.
    Por isso gosto tanto de ler você…
    grande abraço!

  2. intervalo
    21/05/2009 às 7:55

    teu espaço é aconchegante por isso venho sempre aki,agradeço teu carinho estou dando primeiros passinhos neste universo(blogs)srsr.beijosss

  3. 23/05/2009 às 18:34

    Que belo poema.

    @dis-cursos

  4. 26/05/2009 às 1:42

    Nunca fui um um grande apreciador de poemas,nem entendido em poesia.Mas alguns conseguiam me prender, me fascinar pela facilidade com que sabiam lidar com as palavras.A eloqüência, a riqueza de de expressões, tudo em uma harmonia que é quase musica.Ou a musica é poesia
    intangível?
    Se você fosse uma concertista de piano, eu diria que é uma virtuosa.
    Quem me dera o ter esse dom sagrado de tecer palavras.Quem me dera poder tocar um instrumento.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: