Vício

.

Liberta,
a prisioneira que me aprisiona
vem por entre os lábios para a luz.

Leve…
Sinuosa…
Sutil…
Poderosa,…

quase não a vejo…
dançando assim, ante meus olhos cansados,
os nefastos azuis da minha sorte…

ju rigoni (sem registro de data)

.

Visite também

Fundo de Mim II, Dormentes, Medo de Avião, Navegando…

Anúncios
  1. 23/07/2010 às 0:04

    a liberdade, por vezes, está na prisão de um azul olhar.

    bonito aqui

    até

  2. 25/07/2010 às 12:50

    Sempre me maravilho coom os poemas deste blogue, certeiras setas poéticas. E fico feliz com essa minha condição de alvo.
    Eliane F.C.Lima

  3. 25/07/2010 às 20:46

    Juzita….. queria libertar o meu “bicho”….queria deixá-lo livre, pra que ele nunca mais me assustasse ou assustasse os outros.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: