Perfume de Mulher


.

Helga entrou no aerobarco e sentou-se à janela. Ao seu lado havia dois lugares vagos.

O da ponta estava sendo ocupado por um senhor alto, de cabelos grisalhos, mas nem bem sentou-se e uma mulher que parecia ter uns trinta anos, – saltos altos, blazer sobre camiseta e jeans -, apontou-lhe o assento do meio. O homem poderia ter passado para a cadeira ao lado de Helga, mas preferiu levantar-se e esperar que a desconhecida lá se acomodasse para sentar-se no lugar originalmente escolhido.

Tudo não passaria de uma cena absolutamente comum naquela sexta-feira não fosse o perfume fortíssimo que exalava da tal passageira. Helga tentou distrair-se com a paisagem mas, droga!, esquecera e sentara-se no lado oposto àquele em que as janelas da embarcação servem de moldura para o Pão de Açúcar, o Corcovado, o Aeroporto Santos Dumont, a Escola Naval… O jeito era contentar-se com a visão da ponte Rio-Niterói.

O aerobarco já estava a meio caminho do ancoradouro da Praça XV, navegando na altura do vão central da Ponte, quando Helga percebeu que alguma coisa não ia bem com sua cabeça, seu estômago, o ritmo de sua respiração…

Disfarçou e apertou o nariz procurando respirar pela boca para tentar neutralizar a terrível reação que o perfume da tal mulher, sentada ao seu lado, estava lhe causando. Mas só piorou. Quando olhou pela janela novamente viu a histórica Ilha Fiscal começando a apontar na paisagem, que agora estava cheia de minúsculos pontinhos pretos que iam se fechando
gradativamente… De repente, a escuridão.

O mal-estar de Helga não passou despercebido, e foi a  estranha do perfume quem deu o alarme:

– Acho que a moça aqui desmaiou…

Segurou-lhe a bolsa, a pasta de documentos, e passou um braço ao redor de sua cabeça, acreditando que isso lhe traria algum conforto.

Helga, – coitada! -, não poderia recobrar os sentidos. Sua glote estava se fechando cada vez mais por conta daquela “inofensiva” fragrância.

Quando o barco atracou, o passageiro sentado na extremidade prontificou-se a desembarcá-la, levando-a em seu colo. A mulher, então, entregou os pertences de Helga ao comandante e foi embora.

Lá fora, a brisa marinha permitiu que Helga, pouco a pouco, voltasse a si. Uma médica, surgida de não se sabe onde, parou para tomar conhecimento do que estava acontecendo e prestar socorro.

– Está se sentindo melhor? O que houve?

– Ainda não sei muito bem… Isto nunca aconteceu comigo! Acho que foi por causa do perfume de uma mulher que sentou-se ao meu lado…

– Pode ser… Você tem algum tipo de alergia?

– Não que eu saiba…

– Conte-me o que aconteceu.

– Eu senti aquele cheiro forte e fiquei zonza… Minha cabeça começou a rodar e a doer. E tive fortes náuseas. De repente, senti como se alguma coisa me fechasse a garganta e não vi mais nada.

– Olha, eu a aconselho a procurar o seu médico. Acredito que você tenha desenvolvido uma alergia a perfumes, ou a algum de seus componentes. Para uma primeira reação acho que foi muito violenta. Eu diria que você teve sorte. Mais algum tempo junto da tal passageira e as conseqüências poderiam ter sido muito mais sérias.

– O que você quer dizer com “muito mais sérias”?…

– Alguns casos, por causa da ação sobre a epiglote, terminam em óbito.

Assustada com a revelação, e ainda meio tonta, mas já de pé, Helga pegou a bolsa e a pasta e tomou o caminho do trabalho prometendo a si mesma nunca mais sentar-se à janela de qualquer meio de transporte, a não ser que estivesse com algum conhecido.

Atravessou o Paço Imperial e entrou pela Avenida Sete de Setembro procurando manter o máximo de distância possível de qualquer pessoa. À noite, ao telefone, depois de me contar o ocorrido, disse que estava com falta de ar porque, apavorada, passara o dia prendendo a respiração toda vez que alguém se aproximava.

Alguns dias depois seu médico confirmou a reação alégica a um certo fixador utilizado na fabricação de perfumes franceses.

Uu-lah-lah!

ju rigoni (sem registro de data)

Visite também Fundo de Mim II, Dormentes, Medo de Avião, Navegando…

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: